PCSVDF Mulher

PESQUISA DE CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS E VIOLÊNCIA DOMESTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER – PCSVDF Mulher

No ano em que a Lei Maria da Penha completa 10 anos, o Instituto Maria da Penha-IMP está realizando, em parceria com a Universidade Federal do Ceará-UFC e o Instituto para Estudos Avançados de Toulouse (IAST/França), a Pesquisa de Condições Sócio Econômicas e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher – PCSVDFMulher sob a coordenação do Professor José Raimundo Carvalho (CAEN/UFC).  O estudo conta com especialistas de instituições como a Escola de Economia de Toulouse (TSE/França), Universidade Federal do Ceará, Universidade de Oxford (Reino Unido) e Banco Mundial (USA). Este projeto é financiado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres-SPM e conta com a parceria do Banco Mundial.

O intuito dessa pesquisa é o de aprofundar os conhecimentos sobre a violência doméstica e o de auxiliar no desenvolvimento de políticas públicas que possibilitem a diminuição da violência doméstica no Brasil. 

A pesquisa longitudinal será realizada em duas ondas (2016 e 2017), nas nove capitais da região Nordeste. Tal estudo representa o maior sobre esse tema, quanto à sua escala, em toda a América Latina. Serão mais de 10 mil famílias pesquisadas. Ao longo desse processo, será observado de que forma se apresentam atitudes de violência doméstica nesses grupos familiares com o intuito de entender a violência doméstica dentro de várias perspectivas, aprofundando os conhecimentos sobre o tema, auxiliando no desenvolvimento de políticas públicas que possibilitem sua diminuição no Brasil, bem como servindo de fundamento para todas as organizações que trabalham com o assunto e fonte para estudos e trabalhos acadêmicos.

O IMP está participando ativamente deste projeto com a consultoria pedagógica sobre o tema para a elaboração do questionário e com a capacitação das entrevistadoras que irão a campo nas nove capitais nordestinas. Por se tratar de uma pesquisa que visa entender a violência doméstica, o público alvo desta pesquisa será apenas mulheres. Desta forma, é importante que as pessoas que vão a campo aplicar os questionários também sejam apenas mulheres e estejam devidamente sensibilizadas sobre o tema. Esse argumento se baseia no fato de que o tema abordado é bastante complexo, levando as entrevistadas a relatarem possíveis agressões tanto físicas, quanto morais ou sexuais. 

É importante frisar que esta pesquisa é inédita e o banco de dados que será gerado não possui precedentes na América Latina.  Os relatórios/diagnósticos produzidos na PCSVDFMulher serão de extrema importância para a reputação científica do Instituto Maria da Penha – IMP e servirão como fundamento para todas as organizações que trabalham com o tema, fonte para estudos e trabalhos acadêmicos, além de servir como instrumento de reinvindicação para a criação e melhorias das políticas públicas.